Definição

Recuperação de HD (recuperação de dados em HD) é o nome dado ao conjunto de ações e métodos usados para extrair dados contidos em um HD (disco rígido) danificado - independente da sua interface (IDE, SATA, SCSI, SAS...), tabela de partição (MBR, GPT, BSD...) ou sistema de arquivos. A recuperação de SSD (unidade de estado sólido) segue o mesmo preceito, entretanto, usa uma tecnologia de armazenagem que demanda procedimentos diferenciados.

É provável que as primeiras tentativas envolvendo recuperação de HD ocorreram em países do bloco socialista. A intenção seria amenizar o problema da escassez de determinados produtos eletrônicos, decorrente da Guerra Fria, criando tecnologias as quais fizessem um hard disk danificado voltar a operar normalmente. Conforme já sabemos, foi comprovada a impossibilidade de realizar conserto em HDs defeituosos. No entanto, surgiram os primeiros métodos com finalidade de resgatar dados nestes dispositivos.

Não existe programa capaz de recuperar bad blocks, muito menos reparar um HD corrompido. Os softwares que propõe tal proeza, podem fazer justamente o contrário, agravando ainda mais os defeitos físicos e acelerando o processo de realocação de setores ruins - comprometendo, assim, a integridade dos arquivos.

Em relação ao modo de gravação e leitura dos dados, as cabeças magnéticas e os pratos são os principais responsáveis pelo armazenamento de informações em um hard drive (HD). As cabeças executam a conversão de energia elétrica em magnética (e vice-versa) para que haja leitura e escrita (bits 1 e 0) nos pratos. A placa controladora - conhecida como placa lógica - também é muito importante porque contém circuitos os quais gerenciam funções importantes, como rotação dos pratos, deslocamento das cabeças, etc. As unidade sólidas (SSD) têm suas informações gravadas diretamente em chips de memória. O fato de não usarem a parafernália mecânica de um HD (cabeças, braços e pratos) os torna mais rápidos e mais resistentes a acidentes.

Aos poucos, o HD (disco rígido) está sendo substituído pelo SSD (unidade de estado sólido) Este último tende a ser mais rápido, menos suscetível as ações do meio externo e consumir menos energia que seu antecessor. No entanto, seu preço ainda é muito elevado. Ambos possuem uma interface com operação lógica baseada em padrões ATA ou SCSI, sendo destinados a armazenar dados voláteis. De fato, o SSD apenas representa uma forma de evolução do HD, portanto, um e outro são muito semelhantes. É comum ambos serem chamados de HD devido as semelhanças e a força do hábito.

Recuperação de HD e conserto de HD são expressões usadas por pessoas leigas quando pesquisam soluções para recuperar conteúdos de discos rígidos com problemas. Sendo assim, as empresas também adotaram estes termos. Embora não seja possível consertar (fisicamente) um HD, há chance de recuperar as informações contidas, usando técnica e ferramental adequados.

Qualquer ação voltada para recuperar arquivos de HD danificado por problemas físicos, terá boas chances de sucesso se o profissional conhecer bem sua estrutura física, lógica, seu filesystem e, sobretudo, pertencer a uma empresa do ramo.

Serviço de Recuperação de Dados em HD

Os discos rígidos (HD) são dispositivos de armazenamento digital, frágeis e com funcionamento (físico e lógico) complexo. Por isso, os procedimentos utilizados no trabalho de recuperação dos mesmos necessitam de equipamentos apropriados (disponíveis para empresas deste ramo), conhecimento apurado, ambiente adequado e muita experiência. No caso dos SSDs, embora sejam mais tolerantes as ações do meio externo, costumam a apresentar defeitos cuja resolução é delicada.

Ao apresentar qualquer sinal de mal funcionamento, um HD com dados importantes deve ser imediatamente desligado e encaminhado para uma empresa de recuperação de dados, que seja qualificada e com gente treinada, como a Hosco Tecnologia.

A primeira reação a este tipo de incidente computacional deve ser um diagnóstico de modo minimamente invasivo - com o propósito de evitar danos maiores. Uma equipe experiente é capaz de descobrir defeitos com o dispositivo desligado. Uma análise cuidadosa aumenta as chances de recuperar as informações. Este é outro fator que torna fundamental enviar a mídia a uma empresa especializada em HD danificado. O simples funcionamento de um HD no momento pós incidente pode induzir seu circuito controlador a realocar (ou eliminar) setores, agravando a perda dos arquivos.

Após encontrar as prováveis causa do mal funcionamento do HD, inicia-se o processo de estabilização do mesmo. Nesse estágio, são usadas técnicas de reparo, com o intuito de fazê-lo "funcionar" de modo aceitável, possibilitando resgatar conteúdos em estado bruto. É neste estágio que se executa a proeza de - literalmente - recuperar HD. Porém, há situações as quais uma unidade de mídia "ressuscitada", mesmo estabilizada e em ambiente adequado, funcionará apenas por poucos minutos. Essa oportunidade deve ser aproveitada com experiência e responsabilidade porque representa a única chance de trazer de volta os arquivos perdidos do cliente.

É importante esclarecer que técnicos de informática ou eletrônica não são recuperadores de HD, por não terem formação, nem estrutura adequada para o exercício dessa profissão. Entretanto, alguns deles - de modo irresponsável - se oferecem para executar esta tarefa, agravando o dano já existente no HD e dificultando o trabalho das empresas especializadas. Portanto, o consumidor, ao ter seus dados destruídos por estes atos de imperícia e/ou imprudência deve solicitar reparação através dos meios legais, assim como responsabilizar o agente que cometeu tal erro.

O sucesso em recuperar conteúdo de HD corrompido depende das precauções tomadas ao primeiro sinal apresentado. É obrigatório mantê-lo desativado. O simples fato de tentar funcioná-lo nessa condição pode resultar no encarecimento do serviço especializado ou na destruição permanente dos arquivos. Mesmo os programas do próprio fabricante, assim como os utilitários do sistema de arquivos (Chkdsk, Fsck, etc.) devem ser evitados. Estes aplicativos ordenam milhares de requisições de leitura, sequenciais nos pratos do HD (discos, onde as informações estão arquivadas em formato binário) os quais giram a 5400 ou 7200 rpm. O resultado será desastroso se um deles estiver defeituoso, assim como, se a cabeça leitora também estiver avariada.

As unidades de armazenamento possuem duas tabelas internas que computam setores ruins, originalmente, denominados bad sectors. Uma é conhecida como lista primária, a qual é criada na linha de montagem (por um equipamento de alta precisão), durante o processo de fabricação. A outra é preenchida conforme vão sendo encontrados setores defeituosos, no decorrer da vida útil destes dispositivos. Essas listas localizam-se em áreas reservadas do HD e servem para isolar setores com erros de leitura ou escrita. O corrompimento dessas tabelas causa perda de dados, portanto, devem ser cuidadosamente analisadas durante a execução deste serviço.

Existem casos mais complexos, os quais não é possível estabilizar um disco rígido danificado usando métodos habituais de recuperação. Para estas situações a Hosco Tecnologia dispõe de recursos para a leitura de conteúdo nesse tipo de mídia. Ao longo dos anos a empresa desenvolveu dezenas de scripts eficientes e forks de softwares, voltados para cada modelo e cada fabricante (Seagate, Maxtor, Western Digital, Samsung, Toshiba, Hitachi, entre outros) aumentando a possibilidade de sucesso em relação àqueles que trabalham com procedimentos genéricos.

Principais Sintomas em HD ou SSD Danificado


  • Não é mais reconhecido pelo BIOS ou EFI
  • A capacidade do disco exibida no BIOS é incorreta
  • Mensagens "erro de leitura" ao manusear arquivos
  • Uma das partições aparece em formato RAW
  • Mensagens sugerindo formatação do hard drive
  • Mensagens solicitando checagem do disco (chkdsk)
  • Congelamentos de sistema operacional
  • Ruídos ou barulhos incomuns, do tipo "click"
  • Os discos magnéticos apresentam bad blocks
  • Os chips de memória apresentam bad blocks



Top