Definição

Recuperação de Storage (recuperação de dados em Storage) é a expressão usada para designar as ações - executadas em condições adequadas - que têm o objetivo de reparar dados perdidos em volumes de armazenamento, decorrente de defeitos em hardware (HD, SSD, etc.) ou por incidentes com as estruturas lógicas (tabelas de partições, arquivos, etc.). As expressões similares em inglês são storage recovery, storage data recovery e data storage recovery.

Em informática, a palavra inglesa storage (armazenamento, em português) se refere a computadores com função primária de gravar e disponibilizar arquivos para si ou para outras máquinas, podendo fazer parte de ambientes de produção ou backup.

Os dispositivos de armazenamento (HD, SSD, entre outros) podem estar ligados de modo direto ou indireto. No primeiro caso, são conectados diretamente em um computador ou servidor, através de interface usb, eSATA ou até mesmo por uma conexão ponto a ponto. No segundo caso, essa ligação acontece por intermédio de uma rede de dados contendo um ou mais nós.


DAS (Direct Attached Storage)

Um storage DAS é formado por discos (SATA, SAS, eSATA e outros) ligados diretamente, geralmente, por uma controladora HBA. Um HD externo conectado em um computador também pode ser considerado DAS, por mais simplório que seja.

Em razão da facilidade de instalação e do baixo custo, este tipo de tecnologia costuma ser aplicada em pequenas empresas. No entanto, é mais vulnerável a perda de dados e acarreta sérias limitações, como disponibilidade de acesso a apenas um host, impossibilidade de expansão e baixa redundância.

Neste tipo de tecnologia praticamente não existe camadas entre os dispositivos de armazenamento e os hosts. Portanto, o estado de saúde dos discos físicos onde os arquivos estão guardados é uma das principais váriáveis usadas para mensurar o grau de dificuldade de um trabalho de reparo de dados. Exceções se aplicam em ambientes virtualizados, camadas adicionals de abstração e esquemas diferenciados de alocação de blocos.


SAN (Storage Area Network)

SAN é uma sofisticada e complexa arquitetura de storage em rede, o qual as informações são lidas ou gravadas, pelas máquinas clientes, por meio de uma rede de dados - local ou remota, de curta ou longa distância, dependendo da necessidade e da infraestrutura. Estes sistemas de armazenagem proporcionam considerável segurança, escalabilidade e resilência. Por outro lado, podem demandar consideráveis recursos em sua implementação.

Nessa arquitetura, o acesso aos dispositivos de bloco (HD, SSD, etc.) é feito por protocolos iSCSI (SCSI através de rede IP) ou AoE (ATA over Ethernet). Portanto, a comunicação entre as estações clientes e os servidores se estabelece por comandos de baixo nível transmitidos através da rede, permitindo ao storage mandar blocos de dados para a máquina cliente, fazendo o disco remoto parecer um drive local. Podemos dizer que a tecnologia de transporte padrão nestes ambientes é o canal de fibra (fiber channel), o qual utiliza hardware diferenciado e conceitos próprios como WWN e zoning. Outra solução bastante usada é iSCSI SAN, onde o protocolo SCSI circula encapsulado em uma rede IP comum, tendo menor custo, mas com performance inferior.

Esses depósitos digitais quase sempre acompanham soluções de alta disponibilidade e backup. Também possuem recursos de monitoramento do estado dos discos - como exemplo, temos o Xenserver, da Citrix. No entanto, mesmo sendo sistemas preparados para diversos tipos de desastres, estes podem falhar. A perda de dados em storages SAN tem como sua causa mais comum os discos rígidos, ou unidades sólidas, com danos em nível físico, em razão de haver alguns tipos de falhas que ocorrem repentinamente, sendo muito difícil prevê-las. Deve-se levar em conta ainda os modelos de HDs que apresentam erros sutis. Se estes não forem corretamente monitorados podem deixar um servidor em estado off-line.

Problemas com o estado de saúde de um servidor SAN são facilmente notados. Quando drives do storage estão corrompidos os sistemas operacionais das estações de trabalho apresentam mensagens de falha na gravação ou leitura de arquivos porque a comunicação em uma rede SAN é feita em nível de bloco. Ou seja, se comportam tal qual um HD local defeituoso, causando travamentos em gerenciadores de janelas (Nautilus, Explorer, etc.), mensagens de erros de entrada e saída, entre outros sintomas.

As tarefas relacionadas a recuperação de dados em storages SAN são minuciosas e complexas para a empresa que realizará o trabalho, sendo necessário cautela, preparo e planejamento cuidadoso de todo o processo.


NAS (Network-Attached Storage)

NAS também é uma arquitetura de storage em rede, a qual os recursos oferecidos pelo servidor podem ser acessados por uma rede local ou remota. Quando bem implementado, tem características muito similares a um SAN (confiabilidade, resiliência, etc.), com a vantagem de poder disponibilizar seus serviços a mais computadores - de diferentes plataformas operacionais - usando uma rede lan convencional. Deste modo, é largamente utilizado por sua flexibilidade, interoperabilidade e excelente custo-beneficio.

O acesso ao conteúdo de um servidor NAS acontece em nível de sistema de arquivos, mediado por serviços NFS (network file system), CIFS (common internet file system), SMB (server message block) e mais alguns outros. Implementações de médio e grande porte podem ter funções de auto reparo (realocação) de blocos danificados, devido ao uso de ZFS, BTRFS e níveis avançados de RAID. Por outro lado, em instalações mais modestas, é bastante comum o uso de appliances NAS de baixo custo, que utilizam painéis de gerenciamento com recursos limitados, contudo, são mais fáceis de serem geridos.

As distribuições mais conhecidas destinadas para NAS são FreeNAS, NAS4Free e OpenMediaVault. As características principais são fácil instalação (para uso comum, sem otimizações), leveza e estabilidade. O FreeNAS e NAS4Free, baseados em FreeBSD, fornecem suporte nativo a ZFS, oferecendo vantagens logísticas e econômicas se for bem implementado. O OpenMediaVault, baseado em Debian, traz benefícios similares e, brevemente, terá suporte a BTRFS.

As causas mais comuns de perda de dados em NAS de pequeno porte são a ausência de profissional apto para monitorar as mídias de armazenamento, assim como, falta de conhecimento técnico para interpretar mensagens de erros emitidas pelo kernel ou filesystem, principalmente, quando o relatório do S.M.A.R.T. não reporta o estado real da saúde um certo HD ou SSD.

Em relação as coorporações de grande e médio porte, a necessidade de recuperação em NAS decorre, principalmente, de fatalidades com procedimentos de migração e upgrade. São mais esporádicas as situações de perda de arquivos por degradação de discos, em razão de um melhor gerenciamento.

Os primeiros sinais de problemas com os dispositivos físicos de um NAS se manifestam pelas softwares que disponibilizam os arquivos (CIFS, NFS, etc.), assim como nos processos relacionados com a montagem das partições e drivers de filesystems. Em todos os casos haverá lentidão e picos de processamento.

A recuperação de dados em NAS também demanda devido planejamento e análise prévia do ambiente afetado. Embora não precise de hardware peculiar como nos sistemas SAN, neste caso, as ações de reparo esbarram em aplicativos de compartilhamento e filesystems peculiares, como UFS e ZFS.

Serviço de Recuperação de Dados em Storage

Grandes storages e plataformas Unix se completam. Por ser a única empresa brasileira de recuperação, composta de pessoas que, comprovadamente, têm longa experiência em gerenciamento de servidores Unix, a Hosco Tecnologia ocupa posição de destaque no reparo de dados em storages SAN, NAS e DAS.

O cliente que está em busca de uma solução séria deve ter em mente que a maior parte das empresas nacionais que se propõem a executar reparos em servidores de arquivos dedicados, nunca fizeram uma implementação em Unix e não têm a menor noção de como funciona um SAN ou um NAS. Basta uma conversa por telefone com tais "profissionais" para perceber a total falta de conhecimento em relação a estas arquiteturas de armazenamento.

Mesmo os equipamentos mais simples, como pequenos appliances, geralmente, têm funções de prevenção e resposta a desastres computacionais. Eles contam com painel de gerenciamento que, pelo S.M.A.R.T., mostra a saúde dos discos rígidos ou sólidos e alguns podem conter discos de spare (reserva) para restauração imediata em storages com RAID. No caso de implantações maiores, estes recursos são muito mais sofisticados e abrangentes, diminuindo abruptamente a possibilidade de incidentes. Deste modo, conclui-se que um storage - principalmente, aqueles ligados em rede - somente terá seu funcionamento interrompido mediante problemas mais graves.

Para que seja traçada uma estratégia de restauração mais segura (com menos riscos referente a integridade dos arquivos) e eficaz (trazer o maior volume de conteúdo), a Hosco Tecnologia realiza uma análise criteriosa da estrutura, antes de iniciar qualquer procedimento. Nessa etapa pode ocorrer troca de informações com o administrador ou reponsável pelo manutenção do servidor.

Em sistemas SAN deve-se ainda levar em consideração variáveis adicionais do lado do servidor, como os volumes LVM - padrão em infraestruturas com Xen, por exemplo. Em NAS, deve-se conhecer perfeitamente o funcionamento do ZFS, muito usado por suportar RAID (RAID-Z), nativamente, dispensando gastos adicionais com controladoras. Também é necessário investigar dispositivos reservados para cache e logs transacionais.

A equipe da Hosco também leva em conta as circunstâncias do incidente que gerou a perda de arquivos porque, em alguns casos, há apenas uma única chance e um pequeno espaço de tempo para reparar o conteúdo. Portanto, tal oportunidade não pode ser desperdiçada. Por conta de todo seu histórico, esta empresa entende a complexidade de uma recuperação de storage e continua tendo o diferencial de ser a única instituição nacional a executar reparo de dados em servidores DAS, NAS e SAN, com segurança (mantendo a integridade dos arquivos e diretórios), de modo profissional e tendo a consciência de cada procedimento executado.

Abrangência das Nossas Soluções para Recuperação em Storage


  • Appliances DAS de baixo custo, com dispositivos usb ou eSATA
  • DAS usando sistemas baseados em Unix, Unix-Like ou Windows
  • NAS com filesystems ZFS, UFS, HTFS, FFS, QFS, VxFS, JFS, etc.
  • NAS com servidores de arquivos Samba (SMB/CIFS), NFS ou APFS
  • FreeNAS, NAS4Free, Open Media Vault, Openfiler, entre outros
  • SAN através de Fiber Channel (fibra ótica), SAS, AoE e iSCSI
  • SAN com canal FCoE (fibra sob ethernet) ou FCIP (fibra sob IP)
  • SAN através de iSCSI (internet small computer system interface)
  • Storages com SSDs ou HDs - Sata, eSata, SAS, SCSI - danificados
  • Todos tipos de arquivos, incluindo bases de dados, chaves, etc.



Top