Definição

Recuperação de Unix (recuperação de dados em Unix) é o termo atribuído para os procedimentos, executados por pessoal qualificado e devidamente equipado, que tem como foco o reparo de informações perdidas em sistemas operacionais Unix, decorrente de falhas em nível físico ou na estrutura de arquivos, em nível lógico. Em inglês, as expressões correlativas mais comuns são unix recovery e unix data recovery.

O Unix foi criado nas dependências da AT&T, em 1969, pelos cientistas Ken Thompson e Dennis Ritchie. Inicialmente, seu código era quase todo em assembly mas, em 1973, foi reescrito em linguagem C. Sua popularização se iniciou através das distribuições BSD e System V, derivados diretos do Unix original. Surgia, então, uma família de sistemas estáveis e robustos, muito usados em servidores de alta disponibilidade e storages de grandes corporações.

Suas primeiras versões continham um sistema de arquivos chamado, simplesmente, FS (File System). Este já trazia as estruturas básicas ainda hoje muito usadas, como superblocos, inodes e bloco de boot. Posteriormente, criou-se o UFS (Unix File System), poderoso e com conceitos inovadores, adotado por grandes distribuições como BSD (Universidade de Berkley), SysV (AT&T), SunOS/Solaris (Sun), HP-UX (HP), entre outras, tornando-se padrão em pouco tempo.

O UFS Foi um dos primeiros filesystems a usar journaling (registro de operações pendentes), através de implementação feita à partir do Solaris 7, proporcionando um avanço significativo na recuperação após eventuais acidentes. O journal grava - em uma área reservada - registros de operações que deverão ser executadas, mas que ainda não foram escritas diretamente no disco rígido. Ao ocorrer algum dano na estrutura de arquivos, os registros do journal podem proporcionar um auto reparo quase imediato.

Em 2003, surgiu o UFS2, sucessor do UFS original (UFS1), contendo diversos melhoramentos e otimizações. Foi desenvolvido por Kirk McKusick e Poul-Henning Kamp, sob patrocínio da DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa, dos EUA). FreeBSD e NetBSD foram os primeiros a usarem UFS2.

Por ter sido usado, desde seu início, em universidades e meios militares - onde estão sujeitos a diversos riscos - houve a preocupação de que estes ambientes fossem menos vulneráveis a ataques e se recuperassem com mais facilidade de desastres digitais. Deste modo, filesystems Unix costumam ser mais estáveis e resilientes, servindo de base para inovações nos demais Unix-Like - derivando projetos como o do BTRFS. Parte dessas novas tecnologias também são portadas para Linux, como é o caso do JFS (IBM), XFS (Silicon Graphics), ZFS (Oracle), etc.

Por serem sistemas exaustivamente testados e feitos para gerenciar e guardar grandes volumes de informações, os motivos que culminam na recuperação em Unix são, na maioria das vezes, causados por graves defeitos no hardware de armazenamento.

A recuperação de arquivos em Unix é complexa e se diferencia das ações executadas em outros sistemas. Podemos tomar como exemplo, a recuperação de ZFS, a qual exige cautela por sua complexidade de operação e administração, devido as várias particularidades e recursos oferecidos. Portanto, somente profissionais com real experiência em FreeBSD, OpenBSD , NetBSD , Aix, UX, (Open)Solaris, OpenIndiana, etc., poderão executar restauração de dados nestes ambientes, de modo seguro e eficaz.

Serviço de Recuperação de Dados em Unix

A Hosco Tecnologia é a única empresa de recuperação de dados no Brasil, composta por profissionais que, de fato, já gerenciaram, administraram e protegeram plataformas Unix, fazendo desta corporação referência nacional em reparo de conteúdo para sistemas Unix/Unix-Like.

Infelizmente, quase todas as empresas nacionais que, supostamente, fazem este tipo de serviço, sequer sabem instalar um sistema Unix, menos ainda, recuperar dados neles. Conforme já dissemos em outras circunstâncias, algumas delas, inclusive, plagiaram trechos de nossos textos.

As distribuições Unix lidam de forma muito peculiar com a gestão de problemas em dispositivos danificados, não se limitando apenas em executar rotinas de hard/soft reset no HD. Quase todos seus sistemas de ficheiros são muito estáveis, seguros, suportam grandes volumes de dados e têm capacidade de reparo em tempo real. Podemos citar o UFS2, XFS, VxFS, JFS, SAM-QFS, ZFS, etc. No entanto, o UFS e ZFS são aqueles que merecem maior destaque.

O UFS (Unix File System), é um dos sistemas de arquivos mais antigos e utilizados, por sua estabilidade, robustez e constante manutenção. À partir de 1999 lhe foi implementada uma abordagem diferente para manter a integridade da estrutura de arquivos. Este "tipo de journaling" é conhecido como soft update, o qual faz um constante flush de metadados, através de escritas assíncronas, registrando operações que ainda estão somente em memória. Isto ajuda na prevenção de inconsistências em caso de desastres, podendo proporcionar uma recuperação mais rápida, evitando a necessidade de longas operações feitas pelos verificadores de sistema de arquivos (fsck). As primeiras distribuições a utilizarem soft update foram o FreeBSD e OpenBSD.

O ZFS, anteriormente conhecido como Zettabyte File System, foi criado pela Sun, em 2005, e atualmente é mantido pela Oracle. Ele oferece recursos úteis e inovadores (otimização de blocos, compactação, etc.), combinando sistema de arquivos com gerenciador de volumes e RAID (chamado de RAID-Z). Também tem chamado atenção pela sua abordagem efetiva perante corrompimento de arquivos causados por crashes ou interrompimento abrupto de energia. O reparo de arquivos corrompidos em um volume de discos ZFS (Vdev ou discos virtuais) é automático e transparente para os usuários. Seus blocos são estruturados de maneira a qual serão imediatamente realocados em caso de falhas.

É essencial entender o funcionamento do ZFS para traçar uma estratégia de recuperação de dados Unix que tenha boa probabilidade de sucesso. Ele é um sistema de arquivos muito usado em soluções modernas para storage, como o FreeNAS - entre outros NAS (Network Attached Storage). Sua característica de auto reparo tem se mostrado eficiente para prover disponibilidade de serviços computacionais críticos. No entanto, tal peculiaridade pode agravar danos físicos em discos degradados, tornando o processo de reparo profissional relativamente complexo.

Qualquer arquitetura Unix que apresente perda de dados por danos físicos ou lógicos, deve ser, imediatamente, desativada e encaminhada para uma empresa que possa lidar com este tipo de incidente computacional. Assim, a janela de oportunidade para restauração segura e eficiente dos dados será bem aproveitada.

Cabe mencionar que a Hosco Tecnologia continua sendo a primeira empresa nacional a executar recuperação de dados em ZFS de modo profissional e com segurança (preservando ao máximo a integridade dos arquivos e diretórios), tendo diversos casos de sucesso.

Abrangência das Nossas Soluções para Recuperação em Unix


  • BSD, FreeBSD, Aix, Solaris, HP-Ux, OpenServer, Minix, etc.
  • Filesystems UFS1, UFS2, FFS, QFS, VxFS, HTFS, JFS, ZFS, etc.
  • Recuperação RAID Unix (hardware/software) danificado e Lvm
  • Distribuição Unix com boot (Bios/Mbr ou Uefi/Gpt) danificado
  • Recuperação de gerenciador de boot LILO usando BIOS|UEFI
  • Servidor web, arquivos, proxy, ssh, mysql, firebird, nfs...
  • Scripts, chaves, logs, arquivos conf, códigos fonte, etc.
  • Base de dados perdida em MySQL, Postgresql, Oracle, FB, etc.
  • Reparo (pós incidente) de arquivos e contas de usuários
  • HD (Scsi, iScsi, Esata etc), SSD, storage Unix corrompido
  • Auditoria em ambientes violados, pós incidente computacional



Top